Programação

Confira a programação do CONBRACE 2019.

Conferência de abertura:


“O QUE PODE O CORPO NO CONTEXTO ATUAL?


CONTROLE/REGULAÇÃO E PERDA DE DIREITOS COMO DESAFIOS DA
EDUCAÇÃO FÍSICA E CIÊNCIAS DO ESPORTE”


Ementa:
o corpo como elemento central nos debates da Educação Física e Ciências do Esporte faz-se necessário indagar sua potência política, estética, ética e pedagógica e, assim, compreendê-lo como ponto de partida fecundo para diversos caminhos na produção do conhecimento da área e para os enfrentamentos em tempos de crise. Portanto, a pergunta que ecoa, nesse momento, é: o que pode o corpo em tempos de controle/regulação e perda de direitos?

 

Mesa redonda 01:

A SAÚDE COMO DIREITO E O MOVIMENTO QUE PRODUZ VIDA


Ementa:
A Constituição de 1988 determina que a saúde é um direito do cidadão, saúde essa que compreende diferentes dimensões do sujeito e que é resultante de distintos determinantes. Entre a prerrogativa constitucional e a prática cotidiana há, frequentemente, desencontros e incoerências. Não é raro, ao analisarmos a interface entre saúde e movimento corporal, depararmo-nos com a inversão entre direito e dever do indivíduo, promovida por discursos sustentados na medicalização da vida e que restringem a potência das práticas corporais a uma promessa de longevidade e evitação de doenças. A mesa se propõe a discutir a contribuição de políticas de promoção de atividade física/práticas corporais à garantia do direito à saúde de indivíduos e coletivos a partir de sua potência como produtora de vida.


Mesa redonda 02:
DEMOCRACIA E EDUCAÇÃO DO CORPO EM TEMPOS DE (CONTRA) REFORMAS EDUCACIONAIS


Ementa:
A democracia na América Latina é uma trajetória inacabada, que demanda sua permanente reafirmação na esfera do Estado e da Sociedade. Diante dessa histórica e contemporânea fragilidade democrática, instiga-nos a questão: Qual é o papel da educação do corpo? Essa pergunta provoca-nos, sobretudo, em momento no qual observamos um processo de renovação/modernização conservadora, que retroage sobre pautas historicamente conquistadas, inclusive naquelas que tocam o corpo. Nesse sentido, a mesa se propõe a discutir historicamente o papel da educação do corpo e os impactos das (contra)reformas educacionais na atualidade, mais especificamente na Educação Física/Ciências do Esporte.


Mesa redonda 3:
ESPORTE E LAZER COMO DIREITOS HUMANOS DE CORPOS DIVERSOS


Ementa:
O esporte e o lazer como direitos humanos são parte de uma construção histórica implementada por meio de ações coletivas voltadas para a conquista da dignidade humana e das lutas cotidianas por reconhecimento. A interculturalidade, que expressa parte desses direitos, coloca questões em relação ao seu caráter universal, ao mesmo tempo que revela a complexificação e a diversidade dos corpos em sua luta por reconhecimento em distintas esferas, nas quais se incluem o esporte e o lazer. Nessa direção, a mesa se propõe a debater o esporte e o lazer como direitos humanos de corpos diversos a partir de um diálogo intercultural e plural capaz de estabelecer a troca entre saberes de diferentes culturas com seus universos de sentidos distintos.

 

PROGRAMAÇÃO DAS MESAS/PALESTRAS
INTERNAS

GTT 1 – Atividade Física e Saúde

1. “GTT NA ARENA – FORMAÇÃO EM SAÚDE”

a. Ementa: As Diretrizes Curriculares Nacionais dos cursos de graduação em Educação Física publicadas em dezembro de 2018 estabeleceram saúde como um dos eixos articuladores da formação e cobra, pela primeira vez, que a formação contemple, por exemplo, políticas e programas de saúde, Sistema Único de Saúde, integração ensino-serviço-comunidade. Reitera-se, dessa forma, a importância de aprofundar e qualificar a discussão acerca da formação em saúde de profissionais de Educação Física. “GTT na Arena” convoca à discussão as experiências e produções dos membros do GTT Atividade Física e Saúde sobre o tema. Será desenvolvida metodologia que visa privilegiar a qualidade e o aprofundamento da discussão.

GTT 2 – Comunicação e Mídia

1. PÓS-VERDADE E CULTURA DIGITAL: DESAFIOS PARA A EDUCAÇÃO E CIÊNCIAS DO
ESPORTE.

a. Ementa: A cultura digital como indutora de transformações políticas, econômicas e sociais decorrentes do desenvolvimento e popularização das tecnologias de informação e comunicação. A pós-verdade e suas interfaces com a cibercultura. A sociabilidade mediada por plataformas digitais. Filtros, bolhas e algoritmos como reguladoras da experiência online. Fake News. A informação como propaganda. Dilemas e embates no horizonte da educação e Ciências do Esporte.

GTT 3 – Corpo e Cultura/ GTT 4 – Epistemologia/ GTT 7 – Gênero

Mesa Interna:
1. ENTRE A HETEROGENEIDADE E A HOMOGENEIZAÇÃO: O QUE PODE UM CORPO?

a. Ementa: No contexto contemporâneo nos deparamos perante um panorama no qual as subjetividades irrompem frente aos sentidos éticos, estéticos e políticos tradicionais. Fica então um sujeito no qual suas diferenças e particularidades parecem não importar independentemente do país, da cor, religião, raça ou gênero. Como e o que pode um corpo de sujeitos na sua diversidade e heterogeneidade em relação ao exercício da sua cidadania em suas diversas experiências culturais, corporais e de lazer.

GTT 5 – Escola

Mesa Interna:
1. A PRODUÇÃO DO CONHECIMENTO CIENTÍFICO EM EDUCAÇÃO FÍSICA ESCOLAR

a. Ementa: O tema da mesa trata da análise acerca da produção do conhecimento científico da Educação Física Escolar, no Brasil, reconhecendo esses tempos de ataques de ordem neoliberal à democracia, à educação, à docência, à pesquisa científica e à pluralidade de pensamentos e posicionamentos políticos que garantam o exercício pleno da humanização e da cidadania.

GTT 6 – Formação e Mundo do Trabalho

Mesa Interna:
1. CORPO E TRABALHO: DIREITO PELA FORMAÇÃO E INTERVENÇÃO EM TEMPOS DE
CONTRARREFORMAS

a. Ementa: Aprecia a natureza da formação em suas configurações legais e na materialidade prática do cotidiano docente pelo enfrentamento da perda de direitos e da precarização na formação e trabalho profissional.

GTT 8 – Inclusão e Diferenças

Mesa Interna:
1. BASE NACIONAL CURRICULAR NA PERSPECTIVA DA INCLUSÃO E DIFERENÇA

a. Ementa: O cenário da estrutura da Base Nacional Curricular. Percepções da configuração da Diferença e Inclusão na BNCC. O particular e o individual no desenvolvimento curricular. Diversidade e inclusão: distanciamentos e aproximações. Em que medida essa política curricular reconhece o direito às diferenças? Conjugação de valores, reunificação de conteúdos e promoção dos direitos. Enquanto dispositivo oficial, a BNCC responde às demandas sociais dos diferentes grupos culturais? Ao estabelecer um currículo baseado no ensino de competências, a BNCC problematiza os marcadores sociais das diferenças que impregnam as práticas corporais?

GTT 9 – Lazer e Sociedade

Mesa Interna:
1. O LAZER NOS CURSOS DE FORMAÇÃO SUPERIOR EM EDUCAÇÃO FÍSICA NO BRASIL.

a. Ementa: A ideia é discutir o espaço do lazer nos cursos de formação superior em Educação física no Brasil, as relações com a formação de
professores, os demais cursos, concursos, as relações com a pós-graduação.

GTT 10 – Memórias da Educação Física e Esporte

Mesa Interna:
1. A EDUCAÇÃO FÍSICA NO SÉCULO XX: MARCAS NO CORPO.

a. Ementa: A proposta tem a intenção de abordar o corpo na Educação Física, enfatizando as marcas políticas, sociais, culturais, econômicas na (re) produção das práticas corporais que constituíram o campo no século XX. 

GTT 12 – Políticas Públicas

Mesa Interna:
1. POLÍTICA ESPORTIVA NO PAÍS DA “PÁTRIA AMADA BRASIL”: CIDADANIA OU
MILITARIZAÇÃO?

a. Ementa: Refletir sobre as recentes mudanças do órgão gestor da política esportiva brasileira. Da extinção do Ministério do Esporte à criação da Secretaria Especial do Esporte, incorporada ao Ministério da Cidadania, sendo gestor da pasta o general Marco Aurélio Vieira. Considerar aspectos do financiamento da política, especialmente cortes orçamentários dos programas esportivos, inclusive o Bolsa Atleta. Além disso, realizar uma abordagem panorâmica do esporte nas unidades federativas do país.

GTT 13 – Treinamento Esportivo

1. A CIÊNCIA DO TREINAMENTO INTERVALADO: HIIT OU SIT?

a. Ementa: O treinamento intervalado é um método clássico, tradicionalmente usado nos esportes de ‘endurance’ desde começos do século XX, que serve para aumentar a aptidão cardiorrespiratória e o desempenho. O treinamento intervalado consiste na alternância de tiros de alta intensidade com pausas ativas de menor intensidade, ou com pausas passivas nas que o atleta não realiza nenhum tipo de atividade. Posteriormente, diversas escolas e cientistas reformularam o método com propostas e nomenclaturas várias diferenciando, principalmente, entre treinamento intervalado e treinamento intermitente. Mais recentemente, a aplicação do treinamento intervalado foi-se estendendo aos esportes
coletivos e a diversas modalidades de ‘fitness’ diferenciando-se, de forma genérica, entre HIIT (‘high-intensity interval training’) e SIT (‘sprint interval training’). Esta mesa redonda pretende apresentar e discutir a história, os fundamentos, os diversos métodos e as aplicações práticas mais relevantes do HIIT e do SIT, baseando-se na literatura científica e na experiência dos palestrantes.

Pré-evento

Manhã / Encontro de grupos de pesquisa em Educação Física – Minicursos

Tarde / Encontro de grupos de pesquisa em Educação Física – Minicursos

Primeiro dia (16.09.2019)

Manhã / Credenciamento

Tarde / Credenciamento e Reuniões institucionais

Noite / Conferência de abertura “O que pode o corpo no contexto atual”

Segundo dia (17.09.2019)

Manhã / Mesa 01

Tarde / Programação interna do GTT – Comunicações orais e Sessão de pôster

Noite / Lançamento de livros

Terceiro dia (18.09.2019)

Manhã / Mesa 02

Tarde / Programação interna do GTT – Comunicações orais e Sessão de pôster

Noite / Assembleia do CBCE e Festa do evento

Quarto dia (19.09.2019)

Manhã / Programação interna do GTT – Comunicações orais

Tarde / Programação interna do GTT – Comunicações orais e Sessão de pôster

Noite / Assembleia do CBCE

Quinto dia (20.09.2019)

Manhã / Mesa 03

Tarde / Programação interna do GTT – Comunicações orais e Sessão de pôster